terça-feira, 19 de junho de 2018

INVASÃO

ESTAMOS TRABALHANDO NA CONSTRUÇÃO DO BLOG, COM MAIS ISENÇÃO E PROTEÇÃO, EM RAZÃO DA INVASÃO DE HACKERS QUE CHEGOU A DANIFICAR NOSSO NOTEBOOK

AGUARDEM!

sexta-feira, 15 de junho de 2018

REFLEXÃO: O BRASIL É DE TODOS NÓS

O Brasil realmente é um País onde o futebol supera todas as mazelas no território existente, bem como, joga para debaixo do tapete toda podridão oriunda pelos poderes constituídos e jurídicos. No momento da hipócrita "reforma política" objetivada por todos os brasileiros na sua plenitude, foi elaborada apenas e tão somente sob os interesses dos legisladores, sendo que a "massa" habitacional deste "Gigante pela própria natureza" não aluiu uma reles e leva folha de papel que contivesse seus próprios desejos de como deveriam ser e agir a maioria dos políticos.
Através dos denominados "homens da Lei", ou seja, nossos legisladores, portadores da mais alta cúpula de corrupção no Brasil: O Supremo Tribunal Federal, a mais alta corte jurídica do Brasil, conduz atualmente 530 investigações contra políticos, sendo 100 ações penais e 430 inquéritos. O número de parlamentares envolvidos em ações penais no Supremo Tribunal Federal pode variar porque há casos que tramitam sob sigilo de justiça, mas, segundo levantamento feito pela DW Brasil, pelo menos 55 parlamentares estão sendo julgados, sendo seis senadores e 49 deputados federais. Há parlamentares que são réus em mais de uma ação" (Números de 2.017)
Leis deveriam servir para todos, de maneira uníssona, onde o Poder Judiciário não merecesse o "altar" dos perdões quando incorresse nas canaletas do crime e, quando assim procedente, haveria de ser a punibilidade mais forte e castigante do que para aqueles praticados por pessoas alheias aos cargos, que além do Poder lhes rendem vultuosos recursos.
Na Paraíba, certamente, uma juíza se acha um ser Supremo: "Advogados costumam dizer que há juízes que pensam que são deuses e juízes que têm certeza. É o caso da juíza Adriana Sette da Rocha Raposo, titular da Vara do Trabalho de Santa Rita, na Paraíba". Nas palavras da juíza: “A liberdade de decisão e a consciência interior situam o juiz dentro do mundo, em um lugar especial que o converte em um ser absoluto e incomparavelmente superior a qualquer outro ser material”. A consideração sobre a “superioridade” natural dos membros da magistratura faz parte de uma das decisões da juíza. Ela negou pedido de um trabalhador rural por considerar que seus direitos trabalhistas já estavam prescritos. O trabalhador largou o emprego em 1982 e só foi reclamar seus direito em agosto de 2007.
Adriana aproveitou a ocasião de decidir tão magna questão para ressaltar, em poucas palavras, toda a magnificência da profissão dos juízes. O trabalhador, além de perder a causa, teve de ouvir coisas como esta: “Ele [o juiz] é alguém em frente aos demais e em frente à natureza; é, portanto, um sujeito capaz, por si mesmo, de perceber, julgar e resolver acerca de si em relação com tudo o que o rodeia”.  (conjur.com.br - Deusa da Corte).
O Executivo brasileiro, considerando as três esferas de poder, mais carreia para o engodo de aglutinar os legisladores, onde compartilham, juntos, os piores crimes contra a sociedade. A corrupção no Brasil é uma das mais altas do mundo e a população, infelizmente, compartilha com esses números nos mais simples atos do "fura-fila", ou simplesmente pede a alguém que faça "um depósito" por quem já se encontra na boca do caixa, em detrimento aos que aguardam sua vez.
No entanto, com as mazelas sob os matulões nas costas do povo, que os carregam sem a real noção do perigo que ronda a pacata nação brasileira que sofre pela indisciplinada casta dos mais diversos poderes, no afã de que estão protegidos pela CRFB/88, estes mesmos Poderes aliviam-se das pressões, o povo se volta para a "Copa do Mundo" e mais uma vez nada será concretizado para que possamos melhorar, principalmente a nossa conduta de escolhermos verdadeiros representantes que mereçam nosso respeito e que estes, reciprocamente, honrem os seus conceitos morais.
IHERING afirma na sua obra "A Luta pelo Direito" de que:"É um dever do interessado para consigo próprio, porque é um preceito da própria conservação moral; é um dever para com a sociedade, porque esta resistência é necessária para que o direito se realize".
Ora, nós brasileiros estamos feridos na nossa honra pelos escândalos proporcionado pelos (des)governos que nos representam, querendo ou não, a nossa dignidade está tolhida, roubam e furtam as nossas economias aos nossos olhos e ainda estamos festejando? Afinal, o que nós brasileiros estamos querendo? Que melhoras queremos para o nosso povo? A Copa do Mundo, caso sejamos campeões, solucionará as nossas deficiências? E você, já sabe em quem votará para ser o nosso Presidente? Analisou a vida pregressa dos seus candidatos? Sabe realmente quem são eles?

Joel Gomes

O "ASTRO" EGÍPCIO

Salah não será titular na estreia do Egito contra o Uruguai

O astro do Egito, Mohamed Salah, que sofreu uma lesão na final da Liga dos Campeões, não será titular contra o Uruguai nesta sexta-feira, na estreia de seu país na Copa do Mundo, informou a Federação Egípcia de Futebol no Twitter.
A lesão na clavícula esquerda, em 26 de maio na final entre Liverpool e Real Madrid, deixou em dúvida a presença de Salah no Mundial, mas o atacante foi confirmado na lista de 23 convocados dos ‘Faraós’.
Amr Warda será o substituto do jogador do Liverpool na estreia.

LAMENTAMOS PELA ENFERMIDADE, MAS, SEU LUGAR É NA CADEIA!

Defesa de Maluf pede arquivamento de processo de cassação contra o parlamentar

A defesa do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) entrou com um recurso na Mesa Diretora da Câmara em que pede o arquivamento do processo que pode cassar o mandato do parlamentar, sob a justificativa de que os fatos em julgamento ocorreram antes de Maluf ser eleito na Casa. Segundo os advogados do parlamentar, o recurso foi apresentado no início desta semana.
A assessoria do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que um trânsito em julgado, apresentado pela defesa de Maluf ao Supremo Tribunal Federal (STF), também vem impossibilitando a Mesa de tomar qualquer decisão com relação ao mandato do deputado. Por esse motivo, ainda não existe uma previsão para que o assunto seja apreciado.
A Mesa Diretora deveria ter ser encontrado nessa quarta-feira, 12, para decidir sobre o assunto. O colegiado é composto pelo presidente da Câmara, os dois vice-presidentes da Casa e quatro secretários e pode decidir sobre o futuro do mandato de Maluf, sem a necessidade de encaminhar o caso ao plenário.
Maluf foi condenado a 7 anos, 9 meses e 10 dias pelo crime de lavagem de dinheiro desviado da Prefeitura de São Paulo, entre 1993 e 1996, período em que ele comandava a cidade. O deputado ocupa um cargo na Câmara desde 2006. Na decisão, os ministros da Corte ressaltaram que o regime fechado é incompatível com o exercício do mandato parlamentar e por isso determinaram que a Mesa Diretora da Câmara declarasse a perda da função.

AGORA NÃO! CONDUÇÃO COERCITIVA JÁ ERA PELA VOTAÇÃO APERTADA DO STF

Maioria no STF vota para proibir condução coercitiva de investigados

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria, nesta quinta-feira, 14, para derrubar a condução coercitiva de investigados para interrogatórios. A posição do decano da Corte, ministro Celso de Mello, formou o sexto voto favorável aos pedidos do Partido dos Trabalhadores (PT) e pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que contestam a medida. A presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, votou pela legalidade da condução, com intimação prévia.
A condução coercitiva de investigados para interrogatórios está vetada desde o final de 2017, quando o ministro Gilmar Mendes a proibiu através de uma decisão liminar. Desde então, conforme revelou o jornal O Estado de S. Paulo em maio deste ano, as prisões temporárias cumpridas pela Polícia Federal cresceram 31,75% nos primeiros quatro meses de 2018 em relação ao mesmo período do ano anterior.
Cinco ministros da Corte defendem a legalidade da medida, mas mesmo entre eles há divergência sobre a abrangência da utilização desse instrumento, considerado um dos pilares da Operação Lava Jato.
Somente três destes ministros defendem a possibilidade de haver condução coercitiva sem intimação prévia, quando o procedimento substitui medidas mais graves, como a prisão temporária. É o caso de Luiz Fux, Luís Roberto Barroso e Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato na Corte.
Ao votar, Celso de Mello defendeu as garantias constitucionais dos investigados e ressaltou o direito ao silêncio e da não autoincriminação. “Se revela inadmissível sob a perspectiva constitucional a condução coercitiva do investigado, do suspeito ou do réu, especialmente se se analisar a questão da garantia do processo legal e da prerrogativa contra a autoincriminação”, afirmou o decano.
“O procedimento estatal não pode transformar-se em instrumento de prepotência. Os fins não justificam os meios. Há parâmetros éticos e jurídicos que não podem e não devem ser transpostos”, continuou Celso.
Divergência
Na última quarta-feira, 13, ao votarem a favor da condução coercitiva, os ministros Fachin e Barroso criticaram uma tradição de aplicação “injusta” do sistema penal, que beneficia “poderosos”.
“Eu arrisco um palpite (sobre a súbita indignação). É que o direito penal vai chegando, aos poucos, com atraso, mas não tarde demais, ao andar de cima, aos que sempre se imaginaram imunes e impunes. Gente que paga tudo com dinheiro vivo, desconhece o sistema bancário. Gente que vive de dinheiro fácil, com dinheiro dos outros, dinheiro desviado”, comentou Barroso.

O PERIGO RONDA OS OUVIDOS

Garoto morre após explosão de celular

O estudante Iago Aguiar, de 16 anos, morreu ao utilizar o celular enquanto a bateria estava sendo carregada. O jovem, que morava em Tianguá, a cerca de 300 quilômetros de Fortaleza, no Ceará, teria tirado o dispositivo da tomada e o colocado para carregar no computador em um laboratório de informática, na escola, utilizando a entrada USB. O caso aconteceu na última semana.
De acordo com o jornal Tribuna do Ceará, o dispositivo recebeu uma chamada e, ao tentar atender a ligação, o garoto recebeu uma forte descarga elétrica. Iago foi socorrido e encaminhado a um hospital da região, mas não resistiu.
A Perícia Forense do Ceará estuda o caso para identificar a causa da morte do jovem.

Entenda

É preciso prestar bastante atenção na hora de carregar o celular. A primeira dica de especialistas é utilizar cabos e adaptadores originais. Alguns dispositivos piratas, vendidos a um preço menor, pode entregar uma corrente maior ou menor do que prometem, o que pode resultar em um carregamento lento ou mesmo em superaquecimento do aparelho e até explosões.
Outra dica importante é tirar o celular da tomada assim que a recarga for concluída, reduzindo as chances de um raio atingir a rede elétrica e gerar a descarga no usuário.
Problemas elétricos na rede elétrica da casa ou estabelecimento também podem aumentar as chances de curto-circuitos, resultando em choque e até incêndios.

quinta-feira, 14 de junho de 2018

A VERGONHA

A deformação de uma sociedade se dá pelo descrédito para com os políticos, principalmente, quando as decepções afloram a pele e desmistificam, com clareza, que o fantasioso caminho tão sonhado, torna-se tortuoso e confuso como o de antes.
Nos dois vídeos acima, um renomado artista pernambucano "canta" as suas desilusões depositadas num sonho que, para o mesmo, continuou com o mesmo pesadelo. O segundo, mostra o descaso de um ex parlamentar, hoje preso em seu luxuoso apartamento em Boa Viagem, narrando seu convívio com figurões no Presídio da Papuda, em Brasília, onde o 'sóbrio' eleitor brasileiro ver na sarjeta o Judiciário, o Parlamento e a prova viva da discriminação social entre "os ricos e os pobres"